O Filtro Fotocatalisador de Cerâmica

O Filtro Fotocatalisador de Cerâmica de dióxido de titânio foi desenvolvido pela Seiwa Kogyo Co. Ltd., através de uma pesquisa conjunta do Professor Kazuhito Hashimoto, da Universidade de Tokyo, e da Agência de Ciência e Tecnologia do Japão (a partir da Iniciativa de Pesquisa Criativa de 1999-2000).

Este Filtro Fotocatalisador construído no Japão trabalha através da irradiação do dióxido de titânio com raios ultravioleta com comprimento de onda inferiores a 380 nm, acarretando uma reação de óxido-redução. O uso da luz possibilita uma redução significante no custo, e pode ser chamado de um catalisador para o meio ambiente do século XXI.

O Filtro Fotocatalisador decompõe gases tóxicos e substâncias nocivas com eficiência maior do que a tecnologia à base de ozônio (O3). Além disso, a reação ocorre apenas na superfície do dióxido de titânio dentro do aparelho sendo, portanto, seguro, e não causando efeitos colaterais ao ser humano, ao contrário do ozônio.

Este Filtro Fotocatalisador de Cerâmica oferece alta durabilidade e eficiência inigualável contra odores e bactérias. Sua performance pode ser claramente percebida quando comparada com outros aparelhos atualmente em uso.

Características do Filtro Fotocatalisador de Cerâmica


A construção especialmente porosa do filtro cria uma grande área de superfície, facilitando o livre controle da quantidade de dióxido de titânio utilizado.
O Filtro não é inflamável e sua performance permanece inalterada independentemente da distância em que o aparelho está de uma fonte de luz que entre em contato com ele.
Devido à sua alta porosidade (80-90%), a resistência ao ar é extremamente baixa.
Estruturas aleatórias permitem um contato mais eficiente com fluidos.




Devido a estas características, o Filtro Fotocatalisador de Cerâmica possui alta habilidade de filtragem quando comparada aos filtros fotocatalisadores existentes.